História

A origem da tecnologia RFID remonta à Segunda Guerra Mundial, nos sistemas de radares utilizados por várias nações (Alemanha, Japão, Inglaterra e EUA). Estes radares permitiam que a notificação da aproximação de aviões, mesmo eles ainda estando distantes, facilitando a preparação das defesas contra ataques inimigos. Contudo, não se tinha como identificar aviões inimigos dos amigos.
Radares da 2ª Guerra já utilizavam o sistema de identificação por rádio frequênciaEste sistema de radar foi “inventado” pelo físico escocês Sir Robert Alexander Watson-Watt e este mesmo físico desenvolveu, em conjunto com o exército britânico, um sistema para identificação de aeronaves amigas no radar, para tornar realmente efetiva a preparação contra ataques inimigos.
Assim, foram implantados transmissores em aviões ingleses que davam respostas diferentes ao radar, indicando-os como amigos. Deste modo, estava implantado o primeiro sistema de identificação por rádio frequência.
 
Pioneirismo
Pioneira em análise de viabilidade econômica (ROI) relação retorno/investimento, para a implantação da solução RFID, no CENTRO OESTE, a WORLDTEL domina esta tecnologia, que tem sido amplamente utilizada em projetos para aprimorar a exatidão, identificação e controle dos dados e reduzir o tempo e a mão-de-obra em cada etapa, proporcionando agilidade e confiança no rastreamento do produto por todo o processo.

O que é RFID
RFID (Radio Frequency Identification) é uma tecnologia que identifica objetos através de rádio freqüência, e está agrupada sob uma das categorias da tecnologia de Identificação Automática (Auto-ld), que reúne tecnologias como código de barras, leitura óptica de caracteres e leitura biométrica (retina e digitais).

Como funciona o RFID
A etiqueta inteligente RFID é um sistema composto basicamente por um chip de silício (circuito eletrônico integrado) e antenas. Este sistema responde aos sinais de uma base transmissora ou receptora. Esta, por sua vez, contém um sistema de processamento de dados.
As informações sobre o item identificado ficam armazenadas no chip RFID, que transmite seu ID e seus dados. Neste momento, a leitora captura estes dados e os envia ao sistema central para que sejam gravados, concluindo o processo de transmissão dos dados.

Vantagens do RFID
RFID não requer contato visual: A etiqueta inteligente RFID é diferenciada e não precisa de uma linha de visão direta entre o produto e o leitor.
Leitura automática, rápida e simultânea: A Tecnologia RFID permite que os dados sejam lidos automaticamente sem intervenção humana, com mais velocidade, especialmente em operações de seleção automática em esteiras com leitura de 500 a 1500 itens por segundo.
Maior capacidade de dados: Etiquetas RFID podem ser gravadas com detalhes do produto, como lote, peso, entre outros. Estas informações são atualizadas durante a cadeia logística.
Banco de dados portátil: As informações armazenadas no chip das etiquetas de rádio-freqüência, dão origem a um banco de dados portátil.
Robustez: Os produtos RFID são resistentes à poeira, sujeira, água, vibrações e outras condições mais severas.

Aplicação do RFID

·                     Gerenciamento da cadeia de suprimentos, ativos, acesso e pessoas;
·                    Gerenciamento de estoques, inventários, armazéns e desperdícios;
·                    Movimentação de materiais e montagem de equipamentos;
·                    Controle de pedágios;
·                    Rastreamento de contêineres, paletes, cargas, animais, veículos;
·                    Serviços postais;
·                    Automação de processos de manufatura;
·                    Rastreamento de produtos controlados e de embarques.

Soluções para a sua empresa:
As soluções de segurança, qualidade de economia do sistema RFID garantem ganhos para a sua empresa em diversos processos: inventário, transporte, entrega, logística e vendas.  Com os sistemas RFID, os processos se tornam mais eficientes e confiáveis, economizando tempo em cada etapa do processo. Métodos rápidos de anticolisão garantem identificação de uma grande quantidade de produtos ao mesmo tempo, com maior capacidade de armazenamento de dados.

Segmentos de atuação:
Produtos com tecnologia RFID e RTLS embarcada – projetamos e fabricamos produtos habilitados com RFID, especificamente desenvolvidos para atender verticais de negócios, como por exemplo a operação de varejo de moda. Esses produtos são especializados para essas operações e oferecem o máximo desempenho com o melhor custo benefício para o seu negócio

Componentes para projetos de RFID e RTLS – desenvolvemos componentes de hardware e software utilizados em soluções de identificação, rastreabilidade, e aquisição de dados por meio de rádio frequência. Nosso portfólio inclui: portais industriais, portais integrados, leitores embarcados / veiculares, túneis de passagem, mesas, encoders, prateleiras inteligentes, antenas especiais entre outros.

Nossas soluções de RFID e RTLS proporcionam um rápido retorno através de resultados mensuráveis dentro de um contexto de negócios bem definido.

Etiquetas RFID

Existem dois tipos de etiquetas RFID: passiva e ativa.

Uma etiqueta de RFID juntamente de um clipe para a comparação de tamanho• Passiva – Estas etiquetas utilizam a rádio frequência do leitor para transmitir o seu sinal e normalmente têm com suas informações gravadas permanentemente quando são fabricadas. Contudo, algumas destas etiquetas são “regraváveis”.

• Ativa – As etiquetas ativas são muito mais sofisticadas e caras e contam com uma bateria própria para transmitir seu sinal sobre uma distância razoável, além de permitir armazenamento em memória RAM capaz de guardar até 32 KB.

Frequências utilizadas

As frequências usadas em um sistema RFID podem variar muito de acordo com a sua utilização. Um sistema de radar possui frequência e alcances muito maiores que um sistema de pagamento via telefone celular, por exemplo.

E onde isso pode ser útil?

O sistema de identificação por rádio frequência pode atuar em diversas frentes, que podem ir desde aplicações médicas e veterinárias até uso para pagamento e substituição de códigos de barras. Conheça agora algumas destas aplicações da RFID.

Pagamento via celular

Com a identificação por rádio frequência será possível realizar pagamentos via telefone celular. Através da identificação dos sinais, o seu banco receberá os dados de sua compra, descontando em sua conta bancária ou informando o valor em sua próxima fatura. Esse sistema na verdade já existe em outros países e funciona através de um dispositivo de  aproximadamente 3 mm (milímetros).

Pagamento em trânsito

Em Cingapura o pagamento de pedágio via RFID já existe (clique para ampliar)Além disso, estas modalidades de pagamento também podem ser aplicadas a pagamentos no trânsito, na cobrança de pedágios e estacionamentos.

Assim não será mais preciso você pegar o ticket na entrada e depois, quando sair, ir até o caixa para realizar o pagamento. Ao passar pela entrada o sistema fará a leitura e a marcação de quando você entrou e em sua saída, ele fará as contas e a cobrança será realizada de maneira automática.

Do mesmo modo, postos de cobrança de pedágio também ganhariam em agilidade com sistemas de RFID. Ao invés de cancelas e guaritas com pessoas cobrando os valores, devolvendo troco e tudo mais, bastaria apenas um “portal” com um receptor que receberia os sinais emitidos pelos carros que passassem por ele, descontando o valor do pedágio automaticamente.

Controle de estoque

Outra aplicação em supermercados e lojas seria para controle de estoque. Com etiquetas RFID presentes em todos os produtos, através das ondas de rádio seria possível ter um relato completo e preciso de tudo que está em estoque, evitando erros e dispensando a necessidade de fazer balanços mensais demorados e manuais.

Substituição de códigos de barras

Imagine que para pagar suas compras você só precise passar com o carrinho cheio por perto de um receptor, na saída do supermercado? Pois é, com o RFID as compras ficariam mais ou menos assim, pois uma antena seria capaz de identificar tudo o que você está levando e geraria uma fatura a partir disso. Em alguns casos, tanto a etiqueta RFID quanto o código de barras podem estar presentes nos produtos (como no caso da imagem abaixo).

Etiqueta RFID ao lado de uma etiqueta convencional

Rastreamento de cargas

Para conferir mais segurança e evitar roubo de cargas, empresas de transporte e logística já vêm implantando o sistema de RFID para rastrear suas cargas. Isso é, acima de tudo, uma medida de segurança, visto que o rastreamento pretende coibir a ação de ladrões, afinal, não importa para onde vá, a carga terá sua posição localizada em tempo real.

Rastreamento de animais

Com a crescente ameaça de extinção que sofrem diversas espécies de animais em todo o mundo, o sistema RFID é bastante útil para este tipo de controle, pois etiquetas inseridas em animais criados em cativeiros e soltos na floresta podem dar sua exata posição. Isso facilita em muito o trabalho de biólogos na hora de verificar como foi a adaptação do animal em seu “novo” habitat.

Além disso, chips inseridos em animais domésticos (como cães e gatos) podem acabar com o grande número de bichos abandonados nas grandes cidades, afinal, desta forma se tem um controle sobre quem é o dono do animal, facilitando a aplicação de medidas legais para coibir este tipo de atos.

Modalidades esportivas

Atualmente, algumas modalidades de corridas utilizam este sistema para medir com precisão o tempo de volta de cada piloto. Assim, etiquetas passivas implantadas nos veículos são lidas por diversas antenas instaladas pelo circuito, o que confere ainda mais precisão para a medição das voltas.

Identificação biométrica

Esta tecnologia também pode facilitar a vida das pessoas através de identificações biométricas, como passaportes e documentos de identidades. Desta forma, um chip de RFID seria implantando em um único documento e ali estariam contidas todas as informações básicas a seu respeito: números de documentos, cor dos olhos, altura, impressões digitais, etc.

Passaporte biométrico japonês (clique para ampliar)

Assim, além da praticidade na hora de ser identificado, você dispensaria a necessidade de carregar vários documentos para cima e para baixo. Alguns países já utilizam o passaporte biométrico, que funciona exatamente da maneira citada acima. Desta forma, ao entrar em um novo país, através de uma leitura do sinal eles terão todas as informações.

Implante em seres humanos

Há muita controvérsia – e com razão! – quando o assunto é implante de chips em seres humanos. Isso porque se por um lado um chip poderá facilitar a realização de pagamentos, diagnósticos médicos e também a localização de vítimas de sequestros, por exemplo, por outro esta tecnologia pode ser usada para espionagem e invasão de privacidade de qualquer um.

O RFID pode ser usado como ferramenta de controle social!Um bom exemplo disso é o caso de propagandas direcionadas ao cliente, algo semelhante ao que ocorre no filme Minority Report – A nova lei, de Steven Spielberg (EUA, 2002).

Na película, o personagem do ator Tom Cruise, ao entrar em uma loja, torna-se “alvo” de várias propagandas direcionadas a ele, baseadas em informações sobre ele presentes em um banco de dados. Trazendo isso para a vida real, seria um caso claro de invasão de privacidade.

Além disso, métodos como estes de prestação de informações pode ser também uma ferramenta de controle social por parte de Governos, empresas e empresários ao redor do mundo. Desta forma, grupos que manifestam sua insatisfação com uma guerra ou então lutam por direitos sociais e humanos poderão facilmente ser identificados e reprimidos, o que seria, além de espionagem, um duro golpe às lutas democráticas.

Obstáculos ao uso da RFID

Baterias de baixo rendimento

Outro problema é a vida útil de uma bateria para etiquetas ativas de RFID, que ainda é muito curta, o que geraria um certo transtorno ao invés de comodidade, pois ela precisaria ser reposta em pouco tempo. Além disso, isso impede também o desenvolvimento de processos mais elaborados utilizando a RFID, o que demandaria ainda mais energia de seus dispositivos.

Apesar de pequenos, chips de RFID ainda são relativamente caros.

Preço

Apesar de esta tecnologia vir se consolidando ao longo dos anos, ainda existem vários empecilhos para sua implantação em larga escala.

Talvez o principal fosse o preço, afinal para usá-lo serão necessários vários outros equipamentos e isso, para produtos de baixo custo (e baixo retorno financeiro), acaba não sendo a melhor alternativa.

Em virtude deste quesito, precisa de uma empresa com a capacidade da WORLDTEL, que irá projetar e especificar os produtos e serviços certos com o maior ROI(retorno sobre investimento) do mercado.

Segurança

Além disso, existe também o problema com a segurança, pois ainda não foi desenvolvido nenhum sistema à prova de interceptações. Mesmo as etiquetas passivas, que possuem alcance de apenas alguns metros, ainda se encontram vulneráveis a leituras indevidas de dados, o que pode causar vários danos.

Pensando em uma situação em que você carregue seus dados como senhas de cartões, números de documentos e tudo mais, em um dispositivo presente em sua roupa, em seu celular ou em sua mão, a possibilidade de roubo de informações torna-se ainda maior e mais perigosa.

Contra isso alguns estudos vêm sendo realizados e sistemas de criptografia de dados, implementação de códigos e também dispositivos metálicos como “embalagem” das etiquetas têm sido apontados como itens para garantir a segurança e a privacidade do RFID.

E o futuro?

Os próximos passos desta tecnologia ainda são incertos, mas especialistas garantem que ela não deve substituir o código de barras, mas sim que os dois podem coexistir normalmente. Isso porque a demanda de cada uma destas tecnologias pode ser diferente, de acordo com a finalidade de determinados produtos e equipamentos. Ao que tudo indica, esta tecnologia deve “pegar” mesmo na questão de identificação de produtos e controle de estoque.

Além disso, países europeus permitem a inserção subcutânea (sob a pele) de chips que utilizam a RFID em animais domésticos. Também no Velho Mundo já é possível encontrar vários países que utilizam o sistema de passaporte biométrico. Com o passar dos anos, os estudos na área devem persistir e trazer várias novidades a todos nós.

Seu projeto com RFID
Conheça os benefícios que a Tecnologia RFID pode proporcionar ao seu negócio. Solicite um representante.

Nosso objetivo
PROJETAR E PRESTAR ACESSORIA, para adoção e implementação de sistema RFID.

Nossa proposta, Metodologia:

1.   Análise dos processos e procedimentos da empresa.
·   Esta atividade tem por finalidade fazer a análise dos processos onde o cliente deseja aplicar a tecnologia em infra estrutura e em especial o RFID. Estes processos podem abranger as áreas de Recebimento, Armazenagem, Controle de Estoque, Produção e Expedição, incluindo a visão sistêmica das interfaces necessárias com os softwares existentes no cliente.
2.   Estudo da viabilidade de implementação:
·   RFID irá atender as expectativas?
·   Adoção de outras tecnologias para compor a solução, como, por exemplo, gps/gprs, sensores, acesso via smartphone/pda.

3.   Projeto técnico de acordo com o produto e o processo:
·   Estimativa dos tipos de equipamentos: Tipo de Leitores(fixo,móvel,portal). Tipo de Antenas(polarização, diretividade, tamanho, alcance). Tipo de Etiquetas(frequência,molhada/seca,tamanho). Definição da arquitetura: Número de leitores necessários. Posicionamento dos leitores para atender a demanda. Número de antenas necessárias. Posicionamento das antenas para atender a demanda. Sistema distribuído ou centralizado. Tipo de software necessário (middleware ou não, software de front-end, softwaredeback-end, weboudesktop).
·   Definição, localização e acesso ao servidor.
4.   Estudo da aderência da solução proposta:
·   Sistemas legados (ERP,SAP,CRM).
5.   Possíveis melhorias:
·   websemântica:noção de contexto para os dados;
·   ontologias: diferentes mensagens com significados semelhantes.
·   Integração com sistemas legados existentes (códigos de barras, códigos 2-D, SAP, ERP, CRM).
·   Integração com sistemas terceirizados.
·   Padronização da iteração entre os diferentes sistemas.
·   Projeto físico:
·   Definição das etiquetas.
·   Definição dos leitores.
·   Definição do tipo de portais.
·   Posicionamento físico das antenas, leitores.
·   Posicionamento das etiquetas nos itens.
·   Distância das antenas, leitores.
·   Tipos de cabos a serem utilizados.
·   Adequação da estrutura física: obras civis necessárias, instalação de rede elétrica, dutos, etc.

6.   Custos para implementação do sistema RFID:
·   Fornecedores que contenham a solução adequada ao cliente.
·   Instalação física.
·   Equipamentos: etiquetas, leitores, antenas, cabos.
·   Software: front-end, back-end, web/desktop/móvel, middleware, integração.

7.   Teste piloto:
·   Duração dos testes.
·   Tipo de testes a serem realizados (plano de testes e cronograma de execução).
·   Resultados dos testes e definição das características do sistema a ser implantado.

8.   Acompanhamento da implantação do sistema conforme cronograma de execução acordado.

9.   Relatório de performance.

Entre em contato e agende uma conversa com os nossos engenheiros.

FacebookTwitter